Infografia. Ilustração. Desenho Editorial. Banda Desenhada

Páginas

26 maio 2009

Quebra nas vendas


Compram-se menos diários. O relatório da APCT - Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem e Circulação relativo ao bimestre de Janeiro a Fevereiro de 2009, revela quebras significativas de circulação paga em alguns títulos da imprensa nacional.
Compraram-se menos jornais diários nos primeiros dois meses deste ano do que em igual período do ano passado.

O ‘Correio da Manhã’, da Cofina Media, foi o diário mais vendido nos primeiros dois meses de 2009, fixando a sua média de circulação paga nos 116.381 exemplares, embora, desça 3,13 por cento face ao período homólogo.
Segue-se o ‘Jornal de Notícias’, da Controlinveste, que sobe 1,03 por cento, para os 103.277 exemplares, em relação ao mesmo período do ano anterior.
Com uma quebra de 0,21 por cento, o ‘Diário de Notícias’, da Controlinveste, surge como o terceiro diário com uma média de circulação paga de 49.257 exemplares.
O ‘Público’, da Sonaecom, fixa a sua média de circulação nos 42.146 exemplares, reflectindo a descida de 2,3 por cento face ao período homólogo.
Finalmente, o ‘24horas’, da Controlinveste, cai 413 exemplares, para uma média de circulação paga de 33.705 exemplares.

Na imprensa económica, o ‘Diário Económico’, da Económica, registou uma subida percentual de 28,67 por cento, para os 16.084 exemplares de média de circulação paga.
O ‘Jornal de Negócios’, da Cofina Media, subiu 12,8% e apresenta 10 000 exemplares em circulação paga.

Nos semanários, o ‘Expresso’, da Impresa, lidera com 112.211 exemplares, embora quebre 7,26 por cento.
Já o ‘Sol’, da Newshold, desce 14,75 por cento, para uma média de circulação de 44.123 exemplares.

Nas newsmagazines, o bimestre registou uma quebra de 22,6 por cento, para os 97.117 exemplares, da ‘Visão’, da Impresa.
A ‘Sábado’, da Cofina Media, sobe 4,84 por cento em relação ao período homólogo, fixando a sua média de circulação paga nos 77.547 exemplares.


Ver 'APCT'.

Sem comentários: