Infografia. Ilustração. Desenho Editorial. Banda Desenhada

Páginas

26 abril 2013

Creating a new language to communicate big data


Alberto Cairo. Os jornalistas não são tão bons quanto acreditam ser na apresentação de dados e as escolas de jornalismo devem ensinar mais sobre a teoria e as ferramentas necessárias para visualizações de dados e infografias de qualidade. Esta foi a principal ideia que o espanhol Alberto Cairo, professor de Information Graphics and Visualization na University of Miami School of Communication, expressou na conferência ISOJ 2013, promovida pela University of Texas School of Journalism.

Para o autor dos livros ‘Infografía 2.0’ (2008 Alamut) e ‘El Arte Funcional’ (2011 Alamut) e ex-editor de infografia no ‘elmundo.es’ e revista ‘Globo’, mesmo os jornalistas mais experientes ainda precisam aprender quando se trata de visualização de dados e infografia. Alberto Cairo defendeu que as escolas de jornalismo devem fazer com que as disciplinas de representação visual da informação sejam obrigatórias, não opcionais.

Em 2011, em entrevista ao jornal ‘La Vanguardia’, Alberto Cairo já tinha defendido que todos os jornalistas visuais e infografistas devem ter conhecimentos de estatística descritiva. Para o jornalista visual vencedor de 46 medalhas nos prémios Malofiej, a infografia é um produto caro na actual conjuntura de crise nas empresas jornalísticas, mas precisamente por ser de produção dispendiosa é um factor diferenciador e imprescindível ao jornalismo de qualidade das publicações de referência.

Ver ‘ISOJ 2013 - Alberto Cairo and Hannah Fairfield on Data Visualization at International Symposium on Online Journalism’.

Sem comentários: